O acesso à saúde é considerado um direito universal pelas nações unidas. No entanto, interesses econômicos põem em risco esse direito.

Por exemplo, nos Estados Unidos, a gestão de Barack Obama conseguiu baratear os planos de saúde. Mas o projeto, conhecido como ‘Obamacare’, sofreu resistência da oposição e da iniciativa privada.

Na Europa, o primeiro-ministro britânico David Cameron quer aumentar até 2020 a participação do setor privado no sistema de saúde do país, o NHS.

No cenário em que doenças como diabetes, hipertensão e obesidade são um problema de alcance global, qual é o papel de órgãos como o Banco Mundial, a ONUe o FMI?

Qual é o futuro da saúde no mundo?

Convidado: Deisy Ventura
Professora de Relações Internacionais da USP com experiência na área de saúde.

Leave a Reply

Your email address will not be published.